267 - Exame físico do sistema cardiovascular Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 267 - Exame físico do sistema cardiovascular > Flashcards

Flashcards in 267 - Exame físico do sistema cardiovascular Deck (226)
Loading flashcards...
121

V ou F

A ausência de sopros não exclui a existência de obstrução luminal significativa ao nível da artéria carótida

V

122

Quando é que um sopro arterial geralmente se associa a obstrução grave?

Quando se estende até à diástole ou tem um frémito associado

123

Que sintomas e sinais aumentam a probabilidade de doença arterial periférica?

- Sintomas de claudicação
- Pele fria
- Anormalidades no pulso
- Presença de um sopro vascular

124

V ou F

Uma oximetria de pulso anormal (diferença superior a 2% entre o dedo da mão e do pé) pode ser usada para detectar doença arterial periférica das extremidades inferiores

V

É comparável, em termos de performance, ao ITB

125

O impulso apical é melhor detectado no final da inspiração, quando o coração se encontra mais perto da parede torácica anterior. V ou F?

Falso.

...no final da EXPIRAÇÃO...

126

Um impulso apical sustentado é um sinal de sobrecarga de volume, podendo estar presente em doentes com estenose aórtica e HTA crónica. V ou F?

Verdadeiro.

127

Um impulso pré-sistólico palpável corresponde ao S4 é indicativo de diminuição da _______ do VE e aumento da contribuição da ________ auricular para o enchimento ventricular.

Diminuição da compliance do VE e aumento da contribuição da contracção auricular para o enchimento ventricular

128

Um S3 palpável é indicativo de enchimento ventricular lento preococe em doentes com IC. V ou F?

Falso.

Enchimento ventricular RÁPIDO precoce.

129

V ou F

O S3 pode estar presente mesmo quando não se ausculta galope ventricular

V

130

V ou F

Frequentemente, em casos de miocardiopatia hipertrófica obstructiva, o choque de ponta pode apresentar uma cadência tripla

F

MUITO RARAMENTE, em casos de miocardiopatia hipertrófica obstructiva, o choque de ponta pode apresentar uma cadência tripla

131

A sobrecarga de pressão ou volume do ventrículo direito pode levar a uma elevação esternal. V ou F?

V

132

V ou F

Frémitos sistólicos e diastólicos significam fluxo sanguíneo turbulento e de baixa velocidade

F

Frémitos sistólicos e diastólicos significam fluxo sanguíneo turbulento e de ALTA velocidade

133

Em que doentes é possível auscultar um normal desdobramento do S1?

Doentes jovens ou com bloqueio de ramo direito

134

Quais são os factores que determinam a intensidade de S1?

- Distância que o folheto anterior da válvula mitral tem de percorrer até regressar ao seu plano anular
- Mobilidade do folheto
- Contractilidade do ventrículo esquerdo
- Intervalo PR

135

Situações em que o S1 se encontra mais audível

- Fases precoces da estenose mitral reumática
- Estados circulatórios hipercinéticos
- Intervalo PR curto

136

Situações em que o S1 é menos audível

- Estadios tardios da estenose mitral reumática
- Após exposição a bloqueadores β
- Intervalo PR longo
- Disfunção da contractilidade do ventrículo esquerdo

137

Em que situações o desdobramento fisiológico A2-P2 aumenta?

- Situações de bloqueio de ramo direito devido ao atraso no encerramento da válvula pulmonar
- Doentes com regurgitação mitral grave devida ao encerramento prematuro da válvula aórtica

138

Em que situações temos um S2 único ou desdobramento S2 estreito?

HTP

139

O desdobramento fixo de S2, em doentes em que o intervalo A2–P2 é alargado e não se altera durante o ciclo respiratório, ocorre em doentes com CIA tipo ostium primum. V ou F?

Falso.

Comunicação auricular tipo ostium SECUNDUM

140

Que situações estão associadas com o desdobramento paradoxal do S2?

- Doentes com bloqueio de ramo esquerdo
- Estimulação apical do ventrículo direito (“rightventricular apical pacing”)
- EA grave
- Miocardiopatia hipertrófica obstructiva (MCHO)
- Isquemia aguda do miocárdio

141

No desdobramento paradoxal do S2, os dois componentes do S2 aproximam-se durante a ________ (inspiração/expiração).

Inspiração

142

A intensidade do A2 e P2 ___________ com a estenose aórtica e pulmonar, respectivamente

A intensidade do A2 e P2 DIMINUI com a estenose aórtica e pulmonar, respectivamente

143

V ou F

Na estenose aórtica ou pulmonar pode ser ouvido um S2 único

V

144

O clique de ejecção é um som de _____ frequência ouvido na fase ________ da sístole

O clique de ejecção é um som de ALTA frequência ouvido na fase INICIAL da sístole

145

O som de ejecção sistólico está normalmente associado a que patologias valvulares?

- Aorta bicúspide congénita
- Doença valvular pulmonar
- Dilatação isolada da raiz da aorta ou artéria pulmonar com válvulas semilunares normais

146

O que acontece ao som de ejecção sistólico à medida que a aorta bicúspide se torna mais rígida e calcificada?

Diminui de intensidade, ficando eventualmente inaudível com o avançar da doença

147

O que acontece ao som de ejecção sistólico à medida que a gravidade da estenose pulmonar aumenta?

Aproxima-se do S1

148

O que acontece ao clique/complexo clique-sopro do prolapso da válvula mitral com manobras que aumentem a pré-carga ventricular (P.e. Estar de cócoras)?

O clique/complexo afasta-se de S1

Já quando o doente se levanta, o clique/complexo aproxima-se de S1

149

O estalido de abertura de _____ frequência na estenose mitral (EM) ocorre após um intervalo muito ______ depois do segundo som cardíaco

O estalido de abertura de ALTA frequência na estenose mitral (EM) ocorre após um intervalo muito CURTO depois do segundo som cardíaco

150

A intensidade de S1 e do estalido de abertura da EM _________ com a progressiva calcificação e rigidez dos folhetos valvulares anteriores

A intensidade de S1 e do estalido de abertura da EM DIMINUI com a progressiva CALCIFICAÇÃO e rigidez dos folhetos valvulares anteriores