274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA > Flashcards

Flashcards in 274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA Deck (92)
Loading flashcards...
31

O SSS1 (inexcitabilidade da aurícula, ausência de ondas p) deve-se a mutação no gene SCN5A, presente no cromossoma __.

cromossoma 3.

32

A disfunção do nódulo sinusal pode ser assintomática mas com alterações no ECG. Que alterações poderão ser essas?

- Bradicardia sinusal
- Pausa sinusal
- Bloqueio de saída
- Alternância TSV (++FA e bradicardia)

33

Quando a disfunção do nódulo sinusal é sintomática, e sobretudo na SSS variante taqui-bradi, pode ocorrer síncope após termino da taquicardia. V ou F?

Verdadeiro.

34

___ a ___ (fração) dos individuos com disfunção do nódulo sinusal desenvolvem taquicardia SV (FA ou flutter).

1/3 a 1/2.

35

Na disfunção do nódulo sinusal, quais os factores de risco para aumento da incidência de FA permanente?

1. Idade avançada
2. HTA
3. DM
4. Dilatação VE (não da aurícula!)
5. Doença valvular cardíaca
6. Pacemaker ventricular

36

Os doentes com SSS variante taqui-bradi tem aumento do risco de tromboembolismo. V ou F?

Verdadeiro.

37

Em que circunstancias devem ser anticoagulados os doentes com SSS variante taqui-bradi?

1. Idade ≥ 65 anos
2. História de AVC
3. Doença valvular cardíaca
4. Disfunção VE
5. Dilatação auricular

38

Alguns doentes sintomáticos melhoram quando desenvovlem FA. V ou F?

Verdadeiro.

Sobretudo pelo aumento da FC.

39

Até ___ (fração) dos doentes com disfunção do nódulo sinusal poderá ter concomitantemente doença de condução AV.

1/4.

40

A maioria dos doentes com doença concomitante de condução AV e nódulo sinusal necessita de tratamento especifico para bloqueios AV de alto grau. V ou F?

Falso.

Só uma minoria necessita.

41

A disfunção do nódulo sinusal apresenta uma história natural variável mas a mortalidade global não é alterada na ausência de comorbilidades significativas. V ou F?

Verdadeiro.

42

Causas inflamatórias de disfunção intrínseca do nó sinusal

- Pericardite
- Miocardite (incluindo viral)
- Cardiopatia reumática
- Doença vascular do colagénio
- Cardite associada com LES
- Doença de Lyme

43

A amiloidose senil é uma doença infiltrativa em doentes tipicamente na ___ década de vida.

44

O SSS nos jovens e idosos está associado a um ____________ (aumento/diminuição) do tecido __________ (tipo de tecido) no nódulo SA

O SSS nos jovens e idosos está associado a um AUMENTO do tecido FIBROSO no nódulo SA

45

No contexto de SSS, a supressão overdrive do nódulo SA pode resultar em ________ prolongadas e _________ após o fim da taquicárdia

No contexto de SSS, a supressão overdrive do nódulo SA pode resultar em PAUSAS prolongadas e SÍNCOPE após o fim da taquicárdia

46

V ou F

Em muitos casos, os sintomas associados à disfunção do nó sinusal são uma consequência de DCV concomitante

V

47

Quais são as alterações electrográficas associadas com disfunção do nódulo sinusal?

1.  Bradicardia sinusal
2.  Pausas sinusais
3.  Paragem sinusal
4.  Bloqueio de saída do nó
5.  Taquicardia (no SSS)
6.  Incompetência cronotrópica (impossibilidade de aumentar a FC durante o exercício)

48

V ou F

A bradicárdia sinusal é bastante comum e tipicamente é benigna

V

49

Uma frequência cardíaca inferior a __ bpm em repouso, em estado vígil e não-atletas é considerada anormal.

Uma frequência cardíaca inferior a 40 bpm em repouso, em estado vígil e não-atletas é considerada ANORMAL.

50

V ou F

Pausas sinusais até 3s são comuns em atletas no estado vígil, e as pausas ≥3s podem ser observadas em jovens assintomáticos

F

Pausas sinusais até 3s são comuns em atletas no estado vígil, e as pausas ≥3s podem ser observadas em IDOSOS assintomáticos

51

A falência intermitente da condução a partir do nódulo SA produz um bloqueio de saída do nó. V ou F?

V

52

Em que é que consiste a incompetência cronotrópica?

Impossibilidade de aumentar a FC durante o exercício

53

Caracterização de bloqueio do nó SA de segundo grau tipo I

Há atraso progressivo na condução do nó até ao momento da pausa

ECG: ausência intermitente de ondas “p”

54

Caracterização de bloqueio do nó SA de segundo grau tipo II

Não há atraso na condução do nó antes da pausa

ECG: ausência intermitente de ondas “p”

55

O bloqueio completo ou de terceiro grau caracteriza-se por ausência de ondas ___ no ECG

ondas P

56

Qual é a taquicardia mais comum no síndrome taqui-bradi?

FA

57

V ou F

A bradicárdia sinusal ou pausas no ECG de repouso são normalmente suficientes para diagnosticar doença do nó sinusal.

F

A bradicárdia sinusal ou pausas no ECG de repouso RARAMENTE são suficientes para diagnosticar doença do nó sinusal.

58

V ou F

Relato de sintomas, sem que haja um registo concomitante de bradiarritmia sinusal, pode ser suficiente para excluir o diagnóstico de disfunção do nó sinusal

V

59

O teste do SNA é útil no diagnóstico de __________.

Hipersensibilidade do seio carotídeo

60

A presença de pausas superiores a 3s são consistentes com o diagnóstico de hipersensibilidade do seio carotideo. V ou F?

V

embora também possam surgir em doentes idosos assintomáticos