274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA > Flashcards

Flashcards in 274 - Bradiarritmias: Doenças do nódulo SA Deck (92)
Loading flashcards...
61

Uma frequência cardíaca intrínseca baixa é indicativa de doença do nodulo ___.

Doença do nodulo SA

62

No contexto de disfunção do nó do SA, os testes electrofisiológicos são utilizados para explicar etiologias __________ (benignas/malignas) de síncope, como taquiarritmias ventriculares e bloqueio da condução ____.

No contexto de disfunção do nó do SA, os testes electrofisiológicos são utilizados para explicar etiologias MALIGNAS de síncope, como taquiarritmias ventriculares e bloqueio da condução AV.

63

Quais são os testes que avaliam a função do nó sinusal de forma invasiva?

•  Avaliação TRNS (tempo de recuperação do nó sinusal)
•  Avaliação TCSA (tempo de condução sinoauricular)

64

V ou F

A combinação de TRNS anormal + TCSA anormal + FCI baixa é um indicador sensível e específico de doença intrínseca do nó sinusal

V

65

Qual é o objectivo da terapêutica da disfunção do nó sinusal?

O alívio dos sintomas, já que a disfunção do nó sinusal não está associada a mortalidade aumentada

66

Qual é a principal intervenção terapêutica num doente sintomático com disfunção do nó sinusal?

Implantação de pacemaker

67

Os Β-bloqueadores e BCC aumentam o _____ (TRNS/TCSA)

TRNS

68

Os antiarrítmicos classe I e III podem promover bloqueio de saída do nó. V ou F?

Verdadeiro.

69

Qual é o efeito que os digitálicos têm na disfunção do nó sinusal?

↓TRNS

70

Qual é o efeito que a isoprenalina e atropina (IV) têm na disfunção do nó sinusal?

↑ FC (agudamente)

71

Qual é o efeito que a teofilina tem na disfunção do nó sinusal?

↑ FC (aguda e cronicamente)

No entanto, este fármaco deve ser utilizado com cuidado nos doentes com síndrome bradi-taquipneia, já que aumenta a freq das taquiarrit supraventr e nos doentes com doença cardíaca estrutural, já que aumenta o risco de arritmias ventriculares potencialmente graves

72

No EAM inferior ou posterior a bradicardia sinusal é ______ (comum/incomum).

COMUM

73

Que factores podem exacerbar a bradicárdia no EAM posterior ou inferior?

- Dor (exacerba a activação vagal)
- Fármacos (morfina)

74

A isquemia da artéria do nó sinusal ocorre com maior probabilidade em SCA com envolvimento da artéria coronária esquerda. V ou F?

Falso. Artéria coronária DIREITA.

75

Os doentes com hipersensibilidade do seio carotídeo + síncope ou pré-síncope recorrente associada com um componente predominante cardioinibitório respondem à terapêutica com implantação do pacemaker. V ou F?

Verdadeiro.

76

Código de letras utilizado no pacemaker e sua explicação

1ª- Câmara cujo o ritmo está sendo controlado
(0-nenhuma; A-aurícula; V-ventrículo; D-dupla; S-única)
2ª- Câmara na qual ocorre a leitura
(0-nenhuma; A-aurícula; V-ventrículo; D-dupla; S-única)
3ª- Resposta a um evento detectado
(0-nenhuma; I-inibição; T-disparo D-inibição+disparo)
4ª- Programação ou resposta à frequência
(R-responsivo a frequência)
5ª- Existência de funções anti-taquicardia
(0-nenhuma; P-ritmos anVtaquicardia; S-choque; D-controle de ritmo+choque)

77

Quais são os modos de programação mais comuns do pacemaker?

•  Câmara-única: VVIR
•  Câmara-dupla: DDDR

78

Quais são as complicações relacionadas com a implantação do pacemaker?

1.  Infecção
2.  Hematoma
3.  Pneumotórax
4.  Perfuração cardíaca
5.  Estimulação diafragmática
6.  Deslocalização do eléctrodo

79

As complicações agudas da implantação transvenosa do pacemaker são raras. V ou F?

Verdadeiro

80

Quais são as limitações da terapêutica crónica com pacemaker?

1.  Infecção
2.  Erosão
3.  Falha do eléctrodo
4.  Falha na interacção com a actividade eléctrica normal do coração
5.  Síndrome de twiddler - raro
6.  Síndrome de pacemaker
7.  Pacing do ápex VD

81

Em que é que consiste o síndrome de twiddler?

Rotação do gerador de impulso na sua bolsa subcutânea

82

Quais são os doentes com indicação classe I para colocação de pacemaker?

1.  Com bradicardia sintomática ou pausas sinusais
2.  Terapia farmacológica imprescindível a longo prazo sem alternativa aceitável
3.  Incompetência cronotrópica sintomática
4.  FA + bradicardia + pausas >5s

83

Quais são os doentes com bradicardia que não têm indicação para implantação de pacemaker?

1.  Doentes assintomáticos, mesmo naqueles com FC<40bpm 2.  Sintomas sugestivos de bradicardia não estejam associados a FC baixa
3.  Bradicardia sintomática por terapia farmacológica que não seja indispensável

84

V ou F

Nenhum ensaio clínico randomizado unicamente-cego demonstrou melhoria na mortalidade com pacing AV sincronizado VS pacing câmara-única

V

No entanto, alguns destes estudos demonstraram que a incidência de FA e tromboembolismo foi menor com o pacing AV sincronizado

85

Estimulação AV sincronizada parece estar associada ______________ (ao aumento/à diminuição) da incidência de FA e melhora na qualidade de vida.

Estimulação AV sincronizada parece estar associada à DIMINUIÇÃO da incidência de FA e melhora na qualidade de vida.

86

No caso da hipersensibilidade do seio carotídeo com um componente significativo cardioinibitório, o Pacing é necessário apenas de forma _____________ (intermitente/persistente) e Pacing de câmara única normalmente é suficiente

No caso da hipersensibilidade do seio carotídeo com um componente significativo cardioinibitório, o Pacing é necessário apenas de forma INTERMITENTE e Pacing de câmara única normalmente é suficiente

87

V/F?. Uma variante na cadeia pesada da miosina (MYH8) aumenta a suscetibilidade para SSS3.

F.
MYH6

88

V/F.
O sindrome de Kearns-Sayre é caracterizado por oftalmoplegia, degeneração pigmentar da retina e miocardiopatia.

V

89

V/F.
O potencial de membrana em repouso é menos negativo no NSA do que nos miócitos auriculares e ventriculares. Encontra-se entre -50 e -70mV

F

-40 e -60mV

90

V/F.

A fase 0 da despolarização auricular corresponde a correntes de Na.

F.

Correntres de Ca2 - I Ca-L

daí ser lento, comparado com os miócitos auriculares e ventriculares