277 - Arritmias Ventriculares Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 277 - Arritmias Ventriculares > Flashcards

Flashcards in 277 - Arritmias Ventriculares Deck (214)
Loading flashcards...
31

V ou F

A amiodarona reduz a morte súbita no contexto após EAM, mas não parece melhorar a mortalidade total

V

32

A amiodarona no contexto pós EAM encontra-se indicada para __________ sintomáticas nesta população quando os seus benefícios ultrapassam os seus riscos.

arritmias.

33

V ou F

Bloq. Beta reduzem a morte súbita no contexto pós EAM, mas com efeitos limitados nas arritmias espontâneas

V

34

Quais são os grupos de alto risco nos quais o CDI reduz a mortalidade após um EAM?

- EAM >40 dias + FE menor ou igual que 30% OU FE menor que 35% + Sintomas IC (NYHA II/III)
- EAM >5 dias + Redução da fracção de Ejecção + TV não sustentada + TV/FV induzível no Estudo EF

35

V ou F

Os CDIs não reduzem a mortalidade quando são implantados por rotina logo após EAM ou após cirurgia de revascularização coronária recente

V

36

V ou F

A presença de ESVs e TV não sustentada são comuns em doentes com depressão da função ventricular e insuficiência cardíaca e são marcadores de gravidade de doença e aumento da mortalidade.

V

37

V ou F

Os antiarrítmicos demonstraram melhorar a sobrevida nos doentes com ES’s e TV não sustentada associada a IC e diminuição da função ventricular

F

Os antiarrítmicos NÃO demonstraram melhorar a sobrevida nos doentes com ES’s e TV não sustentada associada a IC e diminuição da função ventricular

38

Em que grupo de doentes devem ser evitados os antiarrítmicos classe I (flecainide, propafenona, mexiletina, quinidina e disopiramida)?

Doentes com doença cardíaca estrutural devido ao risco de pro-arritmia, efeitos inotrópicos negativos e aumento da mortalidade

39

V ou F

Anti-arrítmicos classe III (ex. dofetilide) não reduzem a mortalidade nos doentes com ES’s e TV não sustentada associada a IC e diminuição da função ventricular

V

40

V ou F

O tratamento com amiodarona suprime a ectopia ventricular, reduz morte súbita e a mortalidade em geral nos doentes com nos doentes com ES’s e TV não sustentada associada a IC e diminuição da função ventricular

F

NÃO REDUZ A MORTALIDADE EM GERAL DOS DOENTES

41

Qual é a principal terapêutica para proteger os doentes de alto risco com ES’s e TV não sustentada associada a IC e diminuição da função ventricular?

CDI para doentes com FEVE inferior a 0.35 e NYHA classe II e III, reduzindo a mortalidade em 20%

42

A ectopia ventricular muito frequente em doentes com cardiomiopatia hipertrófica, doença congénita associada ao ventrículo direito ou disfunção do ventrículo esquerdo está associada a ________ (diminuição/aumento) da mortalidade.

Aumento da mortalidade

Nestes doentes a supressão farmacológica da arritmia não mostrou melhorar a mortalidade e os DCI estão indicados em doentes com alto risco de MS

43

De que forma é que ESV e TV não sustentada repetitiva muito frequentes pode deprimir a função ventricular?

- efeito semelhante a uma taquicardia crónica
- indução de dessincronia ventricular

44

Para existir depressão da função ventricular é necessário que as ESV contribuam para mais do que __-__% dos batimentos cardíacos totais ao fim de 24h

Para existir depressão da função ventricular é necessário que as ESV contribuam para mais do que 10-20% dos batimentos cardíacos totais ao fim de 24h

45

V ou F

A distinção entre disfunção ventricular induzida por batimentos ventriculares prematuros e uma cardiomiopatia que causa disfunção ventricular e arritmia é difícil

V

46

Definição de ritmo idioventricular

3 ou mais batimentos ventriculares a uma frequência menor que 100 /min

47

Qual é o mecanismo mais provável na origem do ritmo idioventricular?

Automaticidade

48

Em que situações pode surgir o ritmo idioventricular?

- EAM agudo
- Bradicárdia sinusal
- Cardiomiopatias
- Apneia do sono

49

Que fármaco pode ser administrado caso a perda da sincronia auriculoventricular no ritmo idioventricular leve a compromisso hemodinamico?

Atropina, já que este aumenta o ritmo sinusal

50

V ou F

O ritmo idioventricular pode ser idiopático, emergindo muitas vezes quando a frequência sinusal diminui durante o sono

V

51

Que terapêutica é necessária para o ritmo idioventricular assintomático?

Nenhuma

52

V ou F

Doentes com extra-sístoles ventriculares em bigeminismo podem registar frequências de pulso radial que correspondem a metade da frequência cardíaca real

V

53

A TV monomórfica sustentada origina-se com base em quê?

foco estável de automaticidade ou circuito de reentrada

54

Na presença de doença estrutural cardíaca, qual é o substrato para o desenvolvimento de TV monomórfica sustentada?

O substrato é geralmente uma área de substituição irregular por fibrose em áreas de enfarte, inflamação, ou cirurgia cardíaca prévia que cria vias de reentrada anatómicas ou funcionais

55

Qual é o diagnóstico diferencial da TV sustentada?

- TSV com bloqueio de ramo esquerdo ou direito com condução aberrante,
- TSV associada a pré-excitação
- Pacing cardíaco rápido num doente com pacemaker ou CDI

56

Na presença de doença cardíaca conhecida e taquicardia de QRS largos, qual é o diagnóstico mais provável?

TV

57

V ou F

A estabilidade hemodinâmica durante a arritmia exclui a TV

F

A estabilidade hemodinâmica durante a arritmia NÃO exclui a TV

58

Critérios ECG para o Dx de TV monomórfica sustentada

- Presença de dissociação AV (onda P pode ser difícil de definir)
- Onda R monofásica ou complexos R em aVR
- Concordância de V1 a V6 de ondas R ou S monomórficas

59

A mesma morfologia QRS durante a taquicardia e durante o ritmo sinusal sugere taquicardia ___________________ (supraventricular/ventricular) em vez de TV

A mesma morfologia QRS durante a taquicardia e durante o ritmo sinusal sugere TAQUICARDIA SUPRAVENTRICULAR em vez de TV

60

Que alterações tornam o diagnóstico de TV por reentrada relacionada com cicatrização mais provável?

- Ondas Q patológicas no ECG
- Alterações segmentares da mobilidade da parede do ventrículo esquerdo ou direito no ecocardiograma ou imagem nuclear
- Áreas de realce tardio com gadolínio durante RMN