277 - Arritmias Ventriculares Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 277 - Arritmias Ventriculares > Flashcards

Flashcards in 277 - Arritmias Ventriculares Deck (214)
Loading flashcards...
121

O que sugerem episódios repetidos de TV polimórfica?

isquemia miocárdica contínua e justificam avaliação da reperfusão miocárdica

122

V ou F

TV polimórfica e FV dentro das primeiras 72 horas de um EAM estão associadas com um maior risco de mortalidade intrahospitalar

F

TV polimórfica e FV dentro das primeiras 48 horas de um EAM estão associadas com um maior risco de mortalidade intrahospitalar

123

V ou F

Os doentes que sobrevivem após a alta de um EAM com TV polimórfica/FV têm risco aumentado de morte súbita por arritmia

F

Os doentes que sobrevivem após a alta de um EAM com TV polimórfica/FV NÃO têm risco aumentado de morte súbita por arritmia

124

V ou F?

A terapêutica a longo-prazo para arritmia ventricular após enfarte é determinada pela função VE residual.

V

O CDI é indicado para depressão grave do VE ( FEVE inferior 0.35)

125

O prolongamento anormal do intervalo QT está associado com que arritmia?

TV polimórfica Torsade de Pointes

126

Mecanismo de iniciação da TV polimórfica Torsade de Pointes

ES ventricular prematuro induz uma pausa, seguido de um batimento sinusal que tem um QT mais longo e interrupção da onda T pelo batimento ventricular prematuro que é o primeiro batimento da TV polimórfica.

127

Causas de prolongamento do QT

- Distúrbios HE (HipoCa2+; HipoK+)
- Bradicardia
- Bloqueadores das correntes de K+ (sotalol, dofetilide, Ibutilide)
- Medicação não cardíaca (Eritromicina, Pentamidina, Haloperidol, Fenotiazinas e Metadona)

128

Grandes grupos de causas adquiridas de prolongamento do QT

Anormalidades electrólitos
Antiarrítmicos
Antibióticos
Antipsicóticos
Antihistamínicos
Patologia cardíaca
Patologia endocrinológica
Patologia intracraniana
Patologia nutricional

129

Os episódios recorrentes de TV polimórfica Torsade de Pointes podem ser suprimidos com a administração de que fármaco?

Sulfato de magnésio IV 1-2g

Caso o magnésio só por si seja ineficaz, aumentar a frequência cardíaca com infusão isoprotenerol ou pacing, para frequências de 100-120 banimentos/min é necessário para suprimir ES’s ventriculares

130

V ou F

Os doentes com TV polimórfica após prolongamento do QT devem ser considerados susceptíveis à arritmia e devem evitar exposição futura a fármacos que provoquem prolongamento do intervalo QT

V

131

No síndrome do QT Longo, o intervalo QTc encontra-se elevado para valores superiores a ____ ms nos homens e superiores a ____ ms nas mulheres.

Homens: >440ms
Mulheres: >460ms

132

Quais são os marcadores de risco aumentado para o síndrome de QT longo?

QT >0,5 seg
Sexo feminino
História de síncope ou PCR

133

Os tipos 1,2 e 3 do Sindrome do QT longo representam ___% dos casos

Os tipos 1,2 e 3 do Sindrome do QT longo representam 90% dos casos

134

Características do Sindrome do QT longo 1, 2 e 3

- Tipo 1 (++, canais de K) - Episódios tendem a ocorrer durante o esforço, particularmente na natação
- Tipo 2 (++, canais de K) estímulo auditivo súbito/emocional
- Tipo 3 (+, canais de Na/Ca) Morte Súbita durante o sono

135

Tratamento para o Síndrome de QT longo

- Bloq beta(agentes não selectivos – nadolol ou pronanolol) são proteção suficiente de episódios de arritmia na maioria dos doentes do QT longo tipo 1 e 2
- CDI – sincope recorrente apesar da terapêutica com BB ou perfil de alto risco

136

V ou F

O sindrome QT curto é muito raro comparado com o Síndrome de QT longo.

V

137

O intervalo QTc no Síndrome QT curto encontra-se a menos de ____s, e normalmente menos do que do que ___s

O intervalo QTc no Síndrome QT curto encontra-se a menos de 0,36s, e normalmente menos do que do que 0,3s

138

V ou F

O síndrome QT longo está associado a FA, TV polimórfica e morte súbito.

F. QT curto.

139

Definição ECG de Síndrome de Brugada

– Elevação de ST superior a 0,2 mV com um segmento ST côncavo
– Onda T negativa

Estes achados estão presentes em mais do que uma derivação pré-cordial anterior (V1-V3)

140

V ou F

O síndrome de Brugada caracteriza-se por episódios de síncope ou PCR devido a TV polimórfica na ausência de doença estrutural cardíaca.

V

141

Qual o género mais afectado pelo síndrome de Brugada?

Masculino

142

Mutações envolvendo canais de sódio cardíacos são identificadas em ___% dos síndromes de Brugada

Mutações envolvendo canais de sódio cardíacos são identificadas em 25% dos síndromes de Brugada

143

V ou F

O diagnóstico da Sdr Brugada com outras causas de elevação do segmento ST é fácil

F

O diagnóstico da Sdr Brugada com outras causas de elevação do segmento ST é DIFÍCIL

144

V ou F

No Sdr Brugada, a elevação característica do ST pode tornar-se mais pronunciada com doença aguda e febre.

V

145

V ou F

Na Sdr Brugada, a administração de bloqueadores dos canais de sódio (flecainida, ajmalina ou procainamida) podem aumentar ou revelar a elevação do segmento ST em individuos afetados.

V

146

Que fármaco é usado de forma bem sucedida na cessação de episódios frequentes de TV no Sdr Brugada?

Quinidina

147

Quais são os doentes com Sdr Brugada que têm indicação para realizar implantação de CDI?

Indivíduos que têm síncope inexplicável ou foram ressuscitados
de paragem cardíaca.

148

V ou F

Doentes ressuscitados após FV que não têm doença cardíaca estrutural ou outra anomalia identificada têm uma maior prevalência de depressão no ponto J com um entalhamento no final do QRS

F

Doentes ressuscitados após FV que não têm doença cardíaca estrutural ou outra anomalia identificada têm uma maior prevalência de ELEVAÇÃO no ponto J com um entalhamento no final do QRS

149

Um doente com Sdr de Brugada e elevação do ponto J está associado a um risco ________ (inferior/superior) de arritmia.

superior

150

A colocação de CDI num doente com elevação do ponto J deve ser feita naqueles com história de:

Paragem cardíaca