280 - Insuficiência Cardíaca: Management Flashcards Preview

Cardio - 2017 KI > 280 - Insuficiência Cardíaca: Management > Flashcards

Flashcards in 280 - Insuficiência Cardíaca: Management Deck (136)
Loading flashcards...
31

Em que situação se encontram aconselhada a terapêutica com agentes ionotrópicos nos doentes com ICAD?

Como terapêutica de ponte para LVAD ou transplante
Paliação aplicada selectivamente em doentes com IC terminal

32

Qual é o mecanismo de acção dos novos ionotrópicos?

Sensibilização dos miofilamentos ao Ca2+

33

Em que situações é que o levosimendam não deve ser utilizado?

Estados de baixo DC e hipotensão

34

No estudo REVIVE II e no estudo SURVIVE, quais foram as conclusões a que se chegou?

- REVIVE II (levosimendam vs dobutamina): sem qualquer efeito

- SURVIVE (levosimendam vs terapêutica não ionotrópica): melhoria modesta em sintomas com pior mortalidade a curto prazo e arritmias ventriculares

35

Quais as conclusões a que se chegou com o estudo ATOMIC-HF (omecantiv mecarbil)?

Melhoria dos scores dispneia apenas coorte dose + alta

36

Qual é o núcleo terapêutico da IC com FEj diminuída?

Beta bloqueador e IECAs

Estes fármacos estão associados a:
– atenuação do declínio e melhoria na função e estrutura cardíacas;
– ↓ sintomas;
– ↓ hospitalizações;
– ↓ mortalidade por falência da bomba ou arritmias;
– ↑ QdV

37

As metanálises sugerem uma redução de 23% na mortalidade e 35% redução no endpoint combinado de mortalidade e hospitalizações para a IC nos doentes tratados com IECAs

As metanálises sugerem uma redução de __% na mortalidade e __% redução no endpoint combinado de mortalidade e hospitalizações para a IC nos doentes tratados com IECAs

38

A utilização de beta bloqueadores em conjunto com os IECAs garante uma redução de __% adicional na mortalidade para lá do benefício já existente com a terapêutica com IECAs

A utilização de beta bloqueadores em conjunto com os IECAs garante uma redução de 35% adicional na mortalidade para lá do benefício já existente com a terapêutica com IECAs

39

V ou F

Os IECAs não se revelaram seguros no tratamento da IC nos doentes com IR ligeira

F

Os IECAs revelaram-se seguros no tratamento da IC nos doentes com IR ligeira

40

V ou F

Os beta bloqueadores são bem tolerados em doentes com DM moderadamente controlada, asma e DPOC

V

41

V ou F

Os beta bloqueadores e IECAs parecem ter benefícios apenas nos doentes com IC em estadio ligeiro

F

Os beta bloqueadores e IECAs parecem ter benefícios até nos doentes com IC em estadio avançado (NYHA IIIb-IV)

42

Quais são os indivíduos com IC que realizam IECAs e beta bloqueadores que representam uma coorte de alto risco com mau prognóstico?

Doentes com IC avançada que não conseguem tolerar ou atingir doses óptimas de inibidores neurohormonais, necessitando de reduções de dose para manter a estabilidade clínica

43

V ou F

Os IECAs exercem o seu beneficio na IC com FEj reduzida enquanto classe, enquanto que os benefícios dos beta bloqueadores encontram-se limitados a fármacos específicos.

V

44

V ou F

Beta bloqueadores com actividade simpaticomimética (xamoterol, bucindolol) intrínseca não demonstraram um benefício na sobrevida

V

45

Quais devem ser os beta bloqueadores utilizados na IC com FEj reduzida?

- Carvedilol
- Bisoprolol
- Metoprolol

46

V ou F

O agente antagonista neurohormonal com que se inicia a terapêutica para a IC com FEj reduzida é importante para os outcomes da doença

F

O agente antagonista neurohormonal com que se inicia a terapêutica para a IC com FEj reduzida é IRRELEVANTE para os outcomes doença, conquanto sejam atingidas doses óptimas da terapêutica (conclusão do estudo CIBIS III)

47

Doses toleradas mais altas de IECA alcançam menor número hospitalizações com impacto na sobrevida. V ou F?

....SEM impacto na sobrevida.

48

Os beta bloqueadores apresentam uma melhoria na função cardíaca e na redução da mortalidade e hospitalizações de uma forma dose-________ (independente/dependente)

Dose dependente

49

Enquanto não tenham sintomas de _______________ (hipertensão/hipotensão), as titulações de dose dos antagonistas neurohormonais devem ser reajustadas de __ em __ semanas em doentes HD estáveis e euvolémicos em ambulatório se bem tolerado

Enquanto não tenham sintomas de HIPOTENSÃO, as titulações de dose dos antagonistas neurohormonais devem ser reajustadas de 2 em 2 semanas em doentes HD estáveis e euvolémicos em ambulatório se bem tolerado

50

Os antagonistas da aldosterona estão associados a uma redução da _______________ nos estádios de IC com FEj reduzida NYHA __-___

Os antagonistas da aldosterona estão associados a uma redução da MORTALIDADE nos estádios de IC com FEj reduzida NYHA II-IV

51

Quais são os efeitos que os níveis elevados de aldosterona têm na IC com FEj reduzida?

• Retenção de Na+;
• Distúrbios electrólitos;
• Disfunção endotelial;
• Fibrose miocárdio

52

A eplerenona e a espironolactona demonstraram estar associadas com redução significativa da MS e redução da mortalidade e hospitalizações. V ou F?

V

53

Quais são os principais problemas que obrigam a monitorização apertada com os antagonistas da aldosterona?

Monitorização da hipercaliémia e da função renal

54

Em que é que consiste o conceito de escape neurohormonal? Quais são os fármacos que conseguem diminuir esse efeito?

Consiste na evidência de que os níveis ATII regressam a níveis pré-tratamento após iECA.

Os ARA bloqueiam este fenómeno, através da sua ligação competitiva ao receptor AT1

55

Quais foram as conclusões dos estudos que adicionaram terapêutica com ARA aos doentes com IC com FEj reduzida já a realizar IECA e B bloqueador?

Aumento dos outcomes negativos sem qualquer tipo de benefícios

56

Qual deve ser a estratégia no bloqueio neurohormonal na IC com FEj reduzida?

Adição de B bloqueador + IECA (eventualmente substituir um destes por ARA caso algum dos primeiros seja intolerável pelo doente)

Adicionar aldosterona aos doentes com B bloqueador + IECA caso tenham sintomas e estejam em NYHA II-IV

EVITAR A UTILIZAÇÃO DOS 4 FÁRMACOS EM SIMULTÂNEO

57

V ou F

Os estudos realizados com o aliscireno também se revelaram infrutíferos

V

Diminuiu os níveis de péptidos natriuréticos, mas com demasiados efeitos adversos

58

Quais são os mecanismos de acção da hidralazina e dos nitratos?

- Hidralazina: reduz a RVP e induz a vasodilatação sistémica ao alterar a cinética do cálcio intracelular

- Nitratos: são transformados em ON pelas células do músculo liso, o que estimula a GMCc e induz a vasodilatação arteriovenosa

59

Em que indivíduos é que a utilização de hidralazina + nitratos parece estar indicada?

Indivíduos com IC com FEj reduzida que não toleram a terapêutica de antagonismo neurohormonal

(A terapêutica de antagonismo neurohormonal apresenta maior aumento da sobrevida do que a HDZ+nitratos)

60

Qual é o mecanismo de acção da ivabradina?

Inibidor da corrente If no nódulo sinusal, diminuindo a↓ FC sem efeitos inotrópicos negativos